sexta-feira, 3 de setembro de 2010

A carta

Geralmente quando se é ginásio as agendas ficam de lado e usamos mesmo o fundo do caderno, anotamos qualquer coisa que vem em nossas cabeças... Músicas, números, compromissos escolares, tudo. Hoje como é fim de semestre, eu ia aposentar meu velho caderno que já não tinha folhas disponíveis para minha escrita. Como de costume comecei as ultimas folhas a fim de conferir se havia algo de importante e lá estava. Era rigorosamente a primeira folha da ultima matéria e foi também a ultima que eu li. O titulo estava rabiscado e as letras eram garranchos que provavelmente fora escrito rápido, para não perder as idéias que ainda seriam traduzidas em palavras. Um filme passou pela minha cabeça naquele instante, é inquietante a maneira em que tudo pode voltar numa fração de segundos e as feridas doem como se fossem causadas naquele exato momento. Enquanto eu lia aquelas palavras lembrava-me consecutivamente dos lindos momentos em que eu definitivamente não conseguia conter o sorriso que teimava em exibir a minha felicidade. O fim da folha estava borrada e pouco legível, mas eu sabia exatamente do que se tratava. Eram as ultimas palavras de adeus, daquela carta que nem chegou a ser entregue. 

 Bianca B.

14 comentários:

  1. Que lindo! Ficou MUITO BOM, Bia!


    PARABÉNS!

    ResponderExcluir
  2. As palavras tem esse poder grandioso, mexem com a gente sem dó nem piedade.
    Bom texto!
    Beijos. ;**

    ResponderExcluir
  3. Muito bom!
    Velhas anotações são a chave que abre a caixinha de nossos guardados mais intimos.
    bjo

    ResponderExcluir
  4. Bia querida, como está?
    Menina, sei como é isso, o meu eu procurava deixar a última matéria pra isso,kkkkkk e pra desenhos tbm, sempre gostei de desenhar no caderno, rsrs.
    E as lembranças sempre voltam quando encontramos um pedacinho de algo que nos fazem lembrar, aí já viu o resultado né? rsrs
    Tu é de onde daqui da Bahia menina?
    Eu tbm sou meio enrolado as vezes, mas procuro ñ ser tanto, kkkkkk
    E pode deixar q vou aproveitar o máximo possível e impossível kkkkk
    Bjo

    ResponderExcluir
  5. Ai menina, que massa. Já ouvi sim, eu sou de Conquista, rsrs
    Bjo

    ResponderExcluir
  6. Muito bom...
    lembrou meu tempo de escola

    dos amores que agente tem por falta de amor proprio...
    KKKK

    =)
    chata...

    ResponderExcluir
  7. Ás vezes acho frases soltas, metade de poema, trecho de um conto inacabado nos cadernos, nas agendas, em papéis escritos em qlq lugar...sei o que é isso! Alguns reecontros com esses fiapos de escritas são dolorosos, outros não, afinal, tudo funciona como uma cartase...
    Bjs*

    ResponderExcluir
  8. parabéns pelo blog, tá mto bom!
    estou seguindo. beijos:*
    Giovanna.
    http://barradichocolate.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. muuuuito bom bia :)
    isso acontece cmg tb.

    ResponderExcluir
  10. Aaaaaaah... eu vi o comentário seu no Asas! Que lindo! Obrigado.

    Adorei a sua postagem no dia 3 de setembro, dia tão especial pra mim!

    Muito bom! Parabéns moça.

    ResponderExcluir
  11. Oi Bianca!
    Fica meio banal repetir o que todos falam, mas eu realmente adorei seu blog!
    Os texto são muito bons! Adorei "A Carta" e "Infame", e vou te falar, esse negócio de ser normal não está com nada, mil vezes fazer o que me dá na telha e ser tachada de louca insana do que viver em padrões que não me satisfazem! Viver é bom, mas é melhor ainda quando se quebra as regras!


    Colocarei seu blog nas minhas recomendações! Beijos!

    ResponderExcluir
  12. Linda carta, tenho que lhe dar os parabéns pelas belas palavras. "O perdão se revela no momento em que percebemos que a dor se foi... E como a dor é sorrateira! Assim como invade minha alma sem pedir permissão, some na calada da noite como um gatuno."
    Se desejar visite meu blog: http://dialencar.blogspot.com/
    Parabens mais uma vez, e vida longa a todos nós!

    ResponderExcluir

Deixem aqui seus carinhos :*